Projetos a decorrer

Vedações amigáveis para a Abetarda

Embora a agricultura seja essencial para manter a população de aves estepárias, algumas práticas agrícolas utilizadas hoje em dia, como as vedações para o gado, podem ter um impacto negativo sobre a conservação das espécies. No âmbito deste projecto, vencedor do "2013 International Conservation Grant of The Conservation Division of the Forestry Bureau,Taiwan", a LPN pretende desenvolver acções de conservação do habitat da abetarda, visando a minimização de colisão com vedações. As actividades de campo envolverão voluntários, promovendo assim a sensibilização ambiental.



Contextualização e justificação do Projecto

A região de Castro Verde (localmente conhecida como Campo Branco) é uma área rural localizada na região do Alentejo (sul de Portugal), numa zona semiárida e sub-húmida muito ameaçada pela erosão do solo e desertificação, onde a economia é dependente da agricultura, exploração mineira e outros serviços. Esta área, um ecossistema de pseudo-estepe (ou estepe cerealífera), é considerada como uma valiosa área natural, reconhecida pela Birdlife International como IBA (Important Bird Area) e classificada pela Comissão Europeia da União Europeia como uma Zona de Protecção Especial para aves (ZPE) no âmbito da Rede Natura 2000 (Rede Europeia de Áreas Naturais).

O principal habitat na ZPE de Castro Verde são as estepes cerealíferas ou pseudo-estepes, que resultam de uma composição espacial e temporal do habitat, com extensas culturas de cereais num sistema de rotação que envolve pousios (usados ​​para pastagens), searas (trigo, aveia ou cevada), lavrados e restolhos.

A ZPE de Castro Verde é considerada a mais importante área de habitat estepário em Portugal, devido à sua alta relevância para a reprodução de aves estepárias, algumas delas ameaçadas de extinção a nível global, como a Abetarda (Otis tarda).

Esta ZPE tem sido uma área de ocorrência dessas espécies, mas no início da década de 1990 este habitat agrícola começou a sofrer algumas mudanças na agricultura, causando uma grande perda fragmentação do habitat, com o desaparecimento de terras em pousio, aumento da densidade de gado, arborização das zonas agrícolas, aumento de culturas irrigadas ou conversão de culturas arvenses em vinhas ou olivais. Essa mudança na gestão da terra poderia representar a extinção local destas aves. Para evitar essas ameaças, a LPN adquiriu seis propriedades (com a contribuição do Programa Europeu LIFE) para a implementação de uma gestão agrícola compatível com a conservação das aves, e desenvolvendo vários projectos de conservação nesta área. Algumas das populações de aves ameaçadas de extinção mostram hoje em dia tendências de crescimento, revertendo a queda verificada anteriormente.

O objectivo geral da LPN em Castro Verde é conseguir a conservação do ameaçado ecossistema pseudo-estepário, através de uma abordagem integrada do desenvolvimento sustentável, o que garante a protecção das aves estepárias. Esta abordagem envolve acções directas de gestão da biodiversidade, protecção e formação de solos, gestão da água para aumentar a resiliência em situações de seca, desenvolvimento de práticas agrícolas sustentáveis, investigação científica e educação se sensibilização ambiental.

 

A abetarda e o impacto negativo das vedações:

Nos últimos anos tem havido um aumento muito significativo do número e da densidade de vedações, devido às mudanças na gestão agrícola (ou seja, menos mão-de-obra devido ao êxodo rural). Apesar dos problemas levantados pelas vedações, a agricultura é essencial para manter o habitat da abetarda, tanto as searas como os pousios para pastagem são importantes habitats de reprodução e de alimentação para abetarda.

As vedações são uma ameaça importante para estas aves, tanto pela fragmentação do habitat como pelo risco de colisão. Porque as abetardas são aves maioritariamente terrestres, especialmente durante as paradas nupciais, as vedações podem levar ao abandono de áreas de parada e de nidificação que seriam um habitat de elevada qualidade. Além disso, a colisão com alguns tipos de vedações pode ferir indivíduos mortalmente. A presença destes obstáculos pode contribuir também para aumentar a predação de juvenis. Desde 2009, pelo menos 23 abetardas morreram devido a colisões com vedações de arame farpado na ZPE de Castro Verde.

O Projecto LIFE Estepárias, realizado pela LPN entre 2009 e 2012, desenvolveu uma metodologia para minimizar a colisão de aves com a vedação de arame farpado: foram usadas placas de PVC pretas e brancas sobre o fio superior de arame farpado ​​como meio de sinalização para aumentar a visibilidade da vedação.

 

Abetarda presa numa vedação devido a colisão (Autor: LPN)

 

Sinalização de vedações com placas de PVC coloridas (Autor: LPN)