Comunicados de Imprensa

Juvenil de águia-imperial-ibérica devolvido à natureza

A 15 de novembro, em Mértola, é devolvida à natureza uma águia-imperial-ibérica nascida em abril na Zona de Proteção Especial do Vale do Guadiana.





Em julho deste ano, durante uma monitorização a ninhos de águia-imperial-ibérica, foi detetada num ninho uma cria com cerca de 70 dias, já na fase final de desenvolvimento, com um alarmante problema de queda de penas, que a incapacitava de efetuar os primeiros voos para poder abandonar o ninho.

A avaliação feita no local identificou a necessidade de uma intervenção rápida que obrigou à remoção da cria do ninho (localizado no concelho de Mértola, no Baixo-Alentejo) e ao seu transporte para o Centro de Recuperação de Animais Silvestres de Lisboa (LxCRAS, gerido pela Câmara Municipal de Lisboa), onde se encontrava uma equipa veterinária preparada para realizar o diagnóstico e iniciar o seu tratamento.

Passados quase 4 meses, que permitiram a recuperação das penas e o treino para caçar, a jovem águia, um macho com agora cerca de 6 meses, está em condições para ser devolvida à natureza, o que irá acontecer a 15 de novembro na Zona de Proteção Especial do Vale do Guadiana, em Mértola, próximo do local onde nasceu.

A águia-imperial-ibérica ocorre exclusivamente na Península Ibérica e é uma das espécies de aves mais ameaçadas no mundo (existem apenas cerca de 500 casais), com o estatuto de Criticamente em Perigo em Portugal e Vulnerável a nível mundial. Em 2016, nidificaram 15 casais desta espécie em Portugal, nas Zonas de Proteção Especial de Tejo Internacional, Erges e Ponsul, de Veiros, de Mourão/Moura/Barrancos, de Castro Verde, do Vale do Guadiana e suas envolventes.

Este juvenil é uma das apenas 18 crias que nasceram em 2016 em Portugal (das quais 13 voaram com sucesso) e irá contribuir para reforçar a pequena população Portuguesa desta espécie tão ameaçada.

Esta atuação decorre no âmbito do Projeto LIFE Imperial, um consórcio de instituições empenhadas na conservação da espécie, que através da atuação conjunta dos parceiros ICNF, TRAGSATEC e LPN possibilitou esta intervenção. A devolução à natureza será agora acompanhada de perto por uma equipa de técnicos destas entidades, que irão seguir os voos do juvenil de modo a assegurar o sucesso desta operação. Para tal, far-se-á também uso da tecnologia de seguimento remoto, que inclui emissores GSM e emissores VHF, que irá complementar o seguimento por observação direta.

Com esta iniciativa, a conservação da águia-imperial-ibérica em Portugal recebe mais um importante contributo positivo.


A Águia-imperial-ibérica (Aquila adalberti)

Atualmente nidifica exclusivamente na Península Ibérica. A espécie sofreu um grande declínio que culminou com o desaparecimento da população reprodutora em Portugal entre finais da década de 1970 e inícios da década de 1980. Apenas em 2003 se voltou a confirmar um casal nidificante e desde então têm vindo a colonizar lentamente o território nacional, apresentando o estatuto de conservação de “Criticamente em Perigo”. Em 2016 a população nacional foi de 15 casais divididos pelas regiões da Beira Baixa, Alto Alentejo e Baixo Alentejo.
Saiba mais em lifeimperial.lpn.pt/aguia-imperial-ibérica

O Projeto LIFE Imperial
O Projeto LIFE Imperial (LIFE13/NAT/PT/001300) é um projeto coordenado pela LPN e conta com 7 beneficiários associados nacionais e espanhóis, sendo financiado a 75% por fundos comunitários do Programa LIFE da União Europeia. O LIFE Imperial tem por objetivo assegurar o aumento da população de Águia-imperial em Portugal, e consequentemente da população global ibérica, através da redução das ameaças que afetam o eficaz estabelecimento de casais em Portugal, orientando a sua atuação de modo a garantir que o retorno natural da espécie a Portugal possa ser consolidado de forma sustentável e duradoura.

Saiba mais em lifeimperial.lpn.pt/